frantz, frantz françois ozon, françois ozon, françois ozon filmes, pierre niney, pierre niney filmes, paula beer, césar 2017

Frantz | Crítica

Nas cores da mentira

Enquanto perambula pelo centro da cidade, a alemã Anna (Paula Beer, soberba) se interessa por um vestido exposto em uma vitrine. Dali a dois segundos, transfere esse interesse para um buquê de flores.

Com o buquê nas mãos – e aparentemente satisfeita com o investimento –, Anna caminha até o cemitério. Direciona-se ao túmulo de Frantz, seu noivo morto durante a Primeira Guerra. Tudo seguia como o de costume, até que algo estranho desponta aos olhos de Anna.

frantz, frantz françois ozon, françois ozon, françois ozon filmes, pierre niney, pierre niney filmes, paula beer, césar 2017

Algumas flores já enfeitam a então morada de Frantz, que deve ter cativado alguém antes de morrer. “Quem as trouxe?”, pergunta Anna ao coveiro, que mostra a ela uma moeda francesa e cospe no chão – as cicatrizes da guerra, afinal, não foram curadas.

É uma sequência tão certeira, e tão sublime, de Frantz – novo filme do diretor François Ozon – que o espectador deve se arrebatar aí mesmo pelo filme.

Pierre niney, filmes franceses, lançamentos franceses, filmes françois ozon, françois ozon

Não só por ela: durante as quase duas horas de Frantz, Ozon aprimora todo seu bom gosto. São inúmeras cenas como essa: belas, e fortes, e secretas. Quase todas em preto e branco – o diretor só dá cor à obra quando retrata a mentira fantasiosa que habita somente na cabeça de seus personagens.

Principalmente, na do francês Adrien Rivoire (Pierre Niney, em um espetáculo de interpretação). Também desolado pela guerra, Adrien traz mais que flores ao túmulo de Frantz: é sua presença não desejada que perturba todo um período paralisado pelo luto.

frantz, frantz françois ozon, françois ozon, françois ozon filmes, pierre niney, pierre niney filmes, paula beer, césar 2017

Em meio a tantas perdas e traumas, é surpreendente que Ozon tenha encontrado espaço para fugir do lugar comum e atingir, no desfecho de Frantz, uma maturidade quase que inédita no gênero.

É quando Anna vale-se de poucas palavras, enxuga suas últimas lágrimas e acena com um brinde até então perdido pelas sombras da guerra: à sua juventude tão cheia de propósitos e, mais do que isso, à sua própria vida – tão repleta de promessas e descobertas que ainda virão pelo caminho.

frantz, frantz françois ozon, françois ozon, françois ozon filmes, pierre niney, pierre niney filmes, paula beer, césar 2017Ficha Técnica

Título Original: Frantz
Ano de produção: 2016
Direção: François Ozon
Elenco: Pierre Niney, Paula Beer
Gênero: Drama
Duração: 113 minutos
Distribuidora: Califórnia Filmes

 

 

 

FacebookTwitterGooglePinterest


Comentários



Angelo Capontes Jr. escreve críticas cinematográficas há cinco anos. Formado em Jornalismo, começou a carreira em jornais impressos e sites de entretenimento. Atualmente, é editor e crítico de cinema do filmesfranceses.com.br.