Catherine Frot, Os Sabores do Palácio crítica, Crítica de cinema, Filmes Franceses

Os Sabores do Palácio | Crítica

Comida simples

Cozinheira de mão cheia, Hortense Laborie cuida do tio já senil em sua tranquila fazenda, em Périgord. Até que recebe um convite um bocado lisonjeiro: o de ser a cozinheira privada de ninguém menos que o presidente da França.

catherine frot, filmes franceses, cinema francês, dicas de filmes franceses, filmes de gastronomia, onde assistir filmes franceses, filmes franceses para assistir, les saveurs du palais

Quando chega ao palácio do Elysée, depara-se com um cenário inóspito. Para começar, ela é a única mulher na cozinha – e o grupo de cozinheiros machistas não poupa na hora de olhar torto ou tecer comentários maldosos. Depois, uma série de regras deve ser obedecida (e conhecer as preferências gastronômicas do presidente está fora de questão – se ele tiver algo para conversar com Hortense, ela será avisada). Além, é claro, de toda a burocracia política, que exige saber cada linha do cardápio, e tira, assim, parte do fator surpresa com o qual a cozinheira gosta de trabalhar.

catherine frot, filmes franceses, cinema francês, dicas de filmes franceses, filmes de gastronomia, onde assistir filmes franceses, filmes franceses para assistir, les saveurs du palais

A máxima de Os Sabores do Palácio (Les saveurs du Palais, 2012) é a de que não há maior prazer do que o de redescobrir o gosto simples das coisas. Equiparado a ele, só o deleite causado pelos pratos elaborados no filme, que são de uma perfeição capaz de encher os olhos e a boca de água. O feito se dá ao trabalho de famosos chefs franceses, como Guy Legay (do Hotel Ritz de Paris), que ajudaram na parte técnica do projeto.

catherine frot, filmes franceses, cinema francês, dicas de filmes franceses, filmes de gastronomia, onde assistir filmes franceses, filmes franceses para assistir, les saveurs du palais

Hortense Laborie é, na verdade, Danièle Mazet-Delpeuch, uma agricultora e cozinheira autodidata, que inspirou o filme. De 1988 a 1990, Danièle foi a chef pessoal do então presidente François Mitterrand. Assim como no longa, Mitterrand queria comer todos os dias “comida de mãe”. Se Danièle parece somente uma interiorana enviada a Paris numa missão especial, só parece: amiga de Julia Child, a francesa revigorou o setor exânime da produção de foie gras, além de ser uma pioneira na organização de estágios para estrangeiros na iniciação em french cuisine.

catherine frot, filmes franceses, cinema francês, dicas de filmes franceses, filmes de gastronomia, onde assistir filmes franceses, filmes franceses para assistir, les saveurs du palais

Na interpretação natural da sempre notável Catherine Frot, Hortense exala vigor e personalidade. E embala uma outra – e talvez ainda mais arrebatadora – máxima: a de que as melhores histórias não são, necessariamente, aquelas de grande repercussão, mas as que têm algo importante a dizer.

ASSISTA AO TRAILER

 

catherine frot, filmes franceses, cinema francês, dicas de filmes franceses, filmes de gastronomia, onde assistir filmes franceses, filmes franceses para assistir, les saveurs du palaisFicha Técnica

Título Original: Les saveurs du palais
Ano de produção: 2012
Direção: Christian Vincent
Elenco: Catherine Frot, Arthur Dupont e Jean D’Omersson
Gênero: Biografia/Comédia
Duração: 95 minutos
Distribuidora: Europa Filmes

 

 

 

FacebookTwitterGooglePinterest


Comentários



Angelo Capontes Jr. escreve críticas cinematográficas há cinco anos. Formado em Jornalismo, começou a carreira em jornais impressos e sites de entretenimento. Atualmente, é editor e crítico de cinema do filmesfranceses.com.br.